Nutrigenômica, nutrigenética, fique por dentro…

17 Maio 2018
123 Views

A importância da alimentação individualizada

 

Você já notou como a sua impressão digital é perfeita?

E você sabia que nem gêmeos idênticos tem a mesma impressão digital?

E por que então, as pessoas deveriam por algum motivo se alimentar de forma totalmente idêntica?

A alimentação tem um papel prioritário na vida de um indivíduo e de acordo com o que ele come, onde come e como come, podemos traçar um paralelo desde a sua personalidade até as possíveis doenças crônicas que pode desenvolver. A ciência da nutrição é encantadora, e a cada ano que passa se especializa mais e hoje em dia podemos dividi-la em vários segmentos comonutrição esportiva, preventiva, comportamental, vegana, vegetariana, geriátrica, pediátrica, oncológica, hospitalar, parenteral, enteral e muitas outras especialidades.

E por esta razão aquela típica frase “eu sei o que devo comer, por isso eu não vou a uma nutricionista” na maioria das vezes não faz sentido, por que será mesmo que você sabe tudo o que o seu corpo precisa? Quais são as possíveis doenças que ele pode desenvolver e como a alimentação pode tratá-las?

Pensando nisso, hoje vamos falar de um dos segmentos da nutrição – a nutrigenômica. Você já ouviu falar ?

A nutrigenômica consiste em um segmento da nutrição que trabalha a modulação genética através da alimentação de um indivíduo. Ela é baseada na nutrigenética, ciência que estuda os genes que compõe um indivíduo e como eles reagem com a sua alimentação.

Por meio dela é feita uma análise do código genético e através desse código é traçado não apenas a capacidade de desenvolvimento de doenças, mas todas as características que esse indivíduo terá, desde possuir cabelos cacheados até a predisposição de desenvolver uma doença oncológica. Após isso, verifica-se como a alimentação poderá cooperar na prevenção de possíveis doenças que esse indivíduo possa desenvolver e com essas informações do DNA elaborar um aconselhamento nutricional personalizado, traçando um perfil alimentar que vise evitar a evolução dessas prováveis patologias.

Este exame atualmente não está disponível para rede SUS e nem convênios médicos, e apenas um profissional habilitado para fazer a leitura do laudo do mesmo terá condições de solicita-lo e dar andamento ao acompanhamento nutricional personalizado, ele pode ser feito a partir dos 6 meses de idade (após o desmame) e é feito apenas uma única vez na vida.

Fantástico não é?

E tem mais! Além de alimentos que podem modular os genes, já sabemos hoje em dia de plantas que tem essa mesma capacidade; elas vão modular o gene de forma específica para prevenir ou serem associadas a tratamentos patológicos, entre elas podemos citar:

Astragallus mebranaceus – erva milenar, atua sobre o sistema imunológico do indivíduo;

Panax ginseng – sua resposta está vinculada a ação antiage, previne o envelhecimento celular.

Bacopa monnieri – melhora do sistema nervoso e cognitivo;

Zinziger officinallis – atua sobre a resposta do algumas doenças oncológicas como o Cancer de mama.

Rhodiola rosea – capaz de atuar na reparação dos neurônios, melhorar fatores de estafa e cansaço.

Whitania somnifera – atuação sobre a compulsão alimentar, irritação e excitação excessiva.

 

Maravilhoso como o alimento e as plantas podem fazer tanto pela nossa saúde, não é ?

Encontro vocês no próximo mês.

Grande abraço.

 

Lethycia Rodrigues

Nutricionista

(fonte: http://florien.com.br/noticia/importancia-da-alimentacao-individualizada/)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *